Todos os anos, cerca de  15 milhões de bebês  nascem prematuramente.

E agora, os cientistas pensam que o ar que respiramos é parcialmente culpado.

Estimativas em um novo estudo ligaram até  3,4 milhões de nascimentos prematuros  há mulheres grávidas respirando partículas finas – ou poluição do ar.

Segundo o estudo, os números mais altos desses nascimentos são no sul e leste da Ásia, no Oriente Médio e em alguns países africanos.

O estudo tem limitações. Não há muita pesquisa sobre partos prematuros em algumas áreas altamente afetadas. Outros fatores como pobreza, infecção, educação e saúde psicológica também entram em jogo.

Ainda assim, os pesquisadores acreditam que uma  redução na poluição do ar  nas áreas onde é mais prevalente poderia significar menos bebês nascidos muito cedo.

E essa é uma descoberta importante. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, as complicações de partos prematuros são a principal causa de morte para crianças com menos de 5 anos.

Deixe seu comentário